Você sabia que come madeira? A Celulose nos Alimentos

Você sabia que come madeira?

Isso mesmo. Você pode irá encontrar celulose nos alimentos que ingere (proveniente da madeira), e nem está sabendo. A celulose (ou em outras palavras, polpa da madeira), é um dos inúmeros recursos que a Indústria do Alimento utiliza para reduzir os custos de produção, mas por outro lado, reduz o valor nutricional e a qualidade. Veja alguns dos poucos exemplos de onde ela está presente:

  • nos queijos, principalmente os vendidos já na forma ralada, para manter as lascas soltas e protegidas de umidade;
  • nos sorvetes, permite que a textura cremosa permaneça por mais tempo (sim, no seu sundae do Mc Donald’s também);
  • em alguns produtos “rico em fibras“, a fibra da celulose é adicionada como artifício para aumentar esse volume;
  • em caldas, xaropes, sucos, e no creme de leite que você usa para fazer seu strogonoff, a celulose é adicionada para dar consistência;
  • em pães, produtos em pó como achocolatados.

A celulose dá aos alimentos mais água, mais ar, uma sensação cremosa na boca, porém precisando menos dos outros ingredientes e com uma vantagem ainda maior: é muito barata.


 A celulose é, basicamente fibra vegetal, e uma das fontes mais comuns é a polpa de madeira. Fabricantes trituram a madeira e extraem a substância. Ela pode ser chamada por diferentes nomes:

  • carboximetilcelulose;
  • celulose microcristalina;
  • Celulose Gum (Goma de Celulose).

Cada uma dessas formas dá aos alimentos uma textura ligeiramente diferente – de gelatinosa à mais líquida – porque capturam volumes variados de água ou ar. Os aditivos de celulose pertencem a uma família de substâncias conhecidas como hidrocolóides, que interagem de várias maneiras com a água, às vezes criando gelatinas, por exemplo.

É muito mais barato adicionar a celulose nos alimentos, do que adicionar ingredientes provindos de comida de verdade. Ela é manipulada em laboratório para formar diferentes estruturas (líquido, pó, etc), dependendo do produto onde será utilizada.


A celulose também pode vir de legumes e vegetais, mas nesse caso, quando o forem, serão listados no rótulo como tal.


O cientista de alimentos John Coupland, da Universidade Penn State, diz que não importa muito de onde a celulose vem. Em teoria, você pode extraí-la a partir de qualquer planta, como espargos ou cebola, embora seja um desperdício, nesse caso, de boa comida – comida de verdade.

Você sabia que come madeira?

O corpo humano não é capaz de digerir a celulose. Ela não possui nenhum valor calórico, e é utilizada pela Indústria do Alimento como um artifício para causar saciedade, reduzir o teor de gordura e aumentar a quantidade de fibras.

De acordo com o FDA (órgão governamental dos Estados Unidos, responsável pelo controle dos alimentos): “Nos seres humanos, praticamente 100% da celulose ingerida por via oral pode ser recuperada nas fezes dentro de quatro dias, indicando que a absorção não ocorre.” Essa substância passa pelo nosso corpo tão rápido quanto a Indústria do Alimento lucra com isso.

Muita gente ainda se engana com produtos fat-free, considerando-os mais saudáveis, e não se dão o trabalho de ler o rótulo. A demanda por celulose  tem crescido devido às exigências dos consumidores que preferem alimentos com pouca ou sem gordura, mas que mantenham a textura cremosa.


Até mesmo alimentos orgânicos podem conter celulose.


 

A Organic Valley, empresa americana que tem produtos como laticínios e suco de laranja, usa o pó de celulose originado da polpa de madeira em seus queijos ralados. A empresa gostaria de não ter de usar um ingrediente sintético, mas a celulose não tem sabor, é branca e repele a umidade, o que a torna a melhor escolha em vez de produtos como o amido de batata, diz Tripp Hughes, diretor de marketing de produto da Organic Valley.

É muito estranho imaginar que o mesmo tipo de polpa que é usada para fazer papel transforma-se em nossa alimentação, não?

Então, da próxima que você ler “celulose” entre os ingredientes do produto, você já sabe que provavelmente está comendo… madeira.

Referências nos links do próprio texto.
Você sabia que come madeira? A Celulose nos Alimentos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *